Associação Brasileira das Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental

AESAS NEWS

Tendo em vista a relevância e abrangência que a AESAS está tomando, sobretudo no mercado de Gerenciamento ode Áreas Contaminadas,  foi criado um grupo técnico formado por associados, denominado de  GT de Posicionamentos Formais, com o objetivo de discutir e elaborar documentos que apresentem oficialmente a posição da associação sobre assuntos pertinentes aos processos de GAC. Os dois primeiros documentos já foram elaborados e publicados na edição 137 da Revista Meio Ambiente Industrial em março de 2019. Acesse abaixo a publicação e ao final da publicação, tenha acesso à revista na íntegra.

01/10/2018

A AESAS, - Associação Brasileira das Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental, possui um espaço na Revista Meio Ambiente Industrial para a publicação de assuntos relacionados ao Gerenciamento de Áreas Contaminadas. Esse mês o assunto é: MERCADO IMOBILIÁRIO - O desafio do Gerenciamento de Áreas Contaminadas em Condomínios Residenciais. Texto de Ana Paula Queiroz e Rivaldo França Mello.

CLIQUE AQUI PARA LER O ARTIGO NA INTEGRA.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2018/08/19/terreno-de-antiga-fabrica-de-baterias-vira-garimpo-de-chumbo-no-interior-de-sp.ghtml 

O terreno de uma antiga fábrica de baterias automotivas em Sorocaba (SP) se tornou um garimpo de chumbo a céu aberto. Em busca de dinheiro "fácil", moradores da região se arriscam e cavam na terra contaminada por produtos químicos para vender os metais para ferros-velhos da cidade.

A situação, investigada pelas equipes de reportagem do G1 e da TV TEM, foi denunciada pelo Fantástico na noite deste domingo (19). A área onde estão os restos de baterias e lixo tóxico fica no bairro Iporanga, escondida por um matagal, e tem livre acesso. Há alguns meses moradores descobriram que as placas de chumbo enterradas no terreno poderiam ser vendidas.

Com câmeras escondidas, os produtores flagraram dezenas de pessoas escavando o terreno. Do alto é possível ter uma ideia do tamanho da área que já foi revirada por pás, enxadas e até m...

12/07/2018

A Revista RMAI publicou na edição julho | agosto | 2018 uma matéria sobre o PAINEL DE  DEBATES DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS QUE APRESENTOU AS  MUDANÇAS QUE A DD-38 TROUXE PARA O SETOR DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS. Segundo a matéria, o encontro trouxe conhecimento técnico e superou as expectativas dos profissionais.

CLIQUE AQUI E LEIA A MATÉRIA COMPLETA

 

06/07/2018

A Aesas participou com a presença do Presidente Thiago Gomes e da Diretora Técnica, Erika von Zuben da Audiência Pública CMADS debateu o Projeto de Lei 2.732/11, que "estabelece diretrizes para a prevenção da contaminação do solo, cria a contribuição de Intervenção no Domínio Econômico sobre Sustâncias Perigosas e o Fundo Nacional para Descontaminação de Áreas Órfãs Contaminadas e altera art 8º da Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010. O proponente do evento foi o Deputado Carlos Gomes (PRB/RS), pelo requerimento nº 262/2018. O evento aconteceu dia 26 de junho (terça-feira), às 14 horas, no plenário 08 da Câmara dos Deputados (Anexo II) e contou com a transmissão ao vivo e interatividade pelo portal e-Democracia. 

O lançamento do guia “A produção imobiliária e a reabilitação de áreas contaminadas: contratação de serviços, responsabilidades legais e viabilidade de empreendimentos” foi realizado em 26 de abril no IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas. O guia foi desenvolvido em parceria entre o IPT, SECOVI e AESAS, com apoio da CETESB e da SVMA (Secretaria do Verde e do Meio Ambiente) do município de São Paulo. O evento contou com a participação de cerca de 120 pessoas, representando empreendedores imobiliários, consultorias, bancos e órgãos governamentais ambientais, entre outros.Thiago Gomes, presidente da AESAS, ressaltou na abertura do evento a importância desse tipo de publicação com ênfase técnica, colocando a Associação à disposição para novos estudos, informando também que a AESAS atualmente conta com mais de 70 associados representando toda a cadeia de serviços no setor de gerenciamento de áreas contaminadas.Geraldo do Amaral, Diretor de Controle e Licenciamento Ambiental da CETESB, e...

28/02/2018

 A IMPORTÂNCIA DO SETOR DE GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS PARA A SUSTENTABILIDADE

A humanidade enfrenta problemas de degradação ambiental que remontam no tempo. Avaliar e reduzir os impactos ambientais das atividades antrópicas, num cenário em que o crescimento da população mundial pressiona o consumo de recursos naturais além da capacidade de reposição do planeta, é um dos principais desafios da atualidade.

CLIQUE NA IMAGEM E LEIA O ARTIGO COMPLETO.

23/04/2017

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) está disponibilizando online o ‘Panorama GAC: Mapeamento da Cadeia de Gerenciamento de Áreas Contaminadas’, uma publicação que busca demonstrar a estrutura da cadeia no Brasil, a qual tem como mercado final os representantes legais pelas áreas contaminadas identificadas no País. A obra retrata em oito capítulos os conceitos principais que estruturam a cadeia, o contexto internacional do mercado de gerenciamento, o arcabouço legal, um mapeamento das áreas contaminadas no Brasil, uma estrutura de cadeia produtiva proposta e o montante de negócios gerados pelas empresas do setor, bem como desafios e oportunidades.

Baseados em um procedimento metodológico próprio criado a partir de uma cooperação técnica entre a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), a Associação Brasileira das Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental (Aesas) e o IPT,

Mercado brasileiro teve uma movimentação estimada em R$ 1,5 bilhão em 2014

os resultados do es...

10/02/2017

Saiu publica no diário oficial de hoje a nova DD/38/2017 da CETESB: Decisão de Diretoria, nº 38/2017/C, de 7-2-2017 Dispõe sobre a aprovação do “Procedimento para a Proteção da Qualidade do Solo e das Águas Subterrâneas”, da revisão do “Procedimento para o Gerenciamento de Áreas Contaminadas” e
estabelece “Diretrizes para Gerenciamento de Áreas Contaminadas no Âmbito do Licenciamento Ambiental”, em função da publicação da Lei Estadual 13.577/2009 e seu Regulamento, aprovado por meio do Decreto 59.263/2013, e dá outras providências.

PARA TER ACESSO AO CONTEÚDO COMPLETO CLIQUE AQUI.

Dispõe sobre o “Protocolo de Contagem de Prazos em Licenciamento com Avaliação de Impacto Ambiental”

A Diretoria Plena da Cetesb - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, considerando o que consta do Processo 133/2016/310, bem como o pronunciamento do Departamento Jurídico, objeto do Parecer PJ 52/17/PJM, de 11-01-2017, e ocontido no Relatório à Diretoria 004/2017/I. Para acessar o documento na integra clique AQUI.

Please reload

AESAS - Logo White.png